Relação de Serviços

Produtos

  • Avaliação de disponibilidade hídrica superficial e subterrânea

A avaliação de disponibilidade hídrica é de extrema importância para os empreendimentos, de uma forma geral, uma vez que a água tem se tornado um recurso cada vez mais cobiçado e, ao mesmo tempo, mais protegido. Em um estudo de disponibilidade hídrica, verificam-se quais os recursos superficiais e subterrâneos estão disponíveis para os empreendimentos em termos de vazões máximas para captação, levando-se em consideração as vazões comprometidas com os usuários já estabelecidos. Consideração importante deve ser dada às possíveis restrições ambientais e patrimoniais, facilitando, assim a obtenção de outorgas e de licenças. O objetivo maior de um estudo de disponibilidade hídrica é indicar, ao empreendedor, alternativas sustentáveis de fonte de água nova para o seu consumo industrial.


  • Captação de água nova (estudo de alternativas locacionais)

Dentro da avaliação de disponibilidade hídrica, o estudo de alternativas locacionais para a captação de água nova busca realizar um estudo do custo-benefício para indicar qual alternativa se apresenta com maiores benefícios para o empreendimento.


  • Caracterização hidroquímica de corpos hídricos

A caracterização hidroquímica de corpos hídricos tem os objetivos de verificar as condições de usabilidade de águas captadas para os processos industriais e de verificar as condições de qualidade das águas, quando do lançamento de efluentes, perante às Classes de Uso segundo as Resoluções CONAMA 357/2005 e 396/2008.


  • Inventário hidrogeológico de nascentes e drenagens

O inventário hidrogeológico de nascentes e drenagens é um dos primeiros passos na caracterização hidrogeológica de uma dada região onde se implantam os empreendimentos, quando suas atividades interferem nos recursos hídricos. Durante esta atividade, são cadastradas as principais nascentes de água e são percorridas todas as drenagens principais, buscando compreender como se processam as descargas de água subterrânea nas sub-bacias. Poços tubulares, cacimbas e cisternas são também cadastrados. Medidas expeditas de vazão e de parâmetros físico-químicos são feitas in situ.


  • Modelos hidrogeológicos conceituais para Relatórios de Pré-Viabilidade e instrução de EIA/ RIMA

Em vários empreendimentos, a instrução de um Estudo de Impacto Ambiental (EIA) ou os estudos de Pré-Viabilidade já requerem um entendimento, em nível conceitual, do ambiente hidrogeológico onde estão situados. Em um modelo hidrogeológico conceitual, são apresentadas as principais características dos sistemas aquíferos, assim como sua inter-relação com as águas superficiais, com o regime climatológico e com o relevo. Na mineração, especificamente, são feitas previsões preliminares do aporte de águas subterrâneas para a mina (cava a céu aberto ou mina subterrânea) e do impacto nas drenagens locais.


  • Modelos hidrogeológicos computacionais

Os modelos hidrogeológicos computacionais são ferramentas bastante úteis para a melhor compreensão da hidrodinâmica subsuperficial em diversos estudos tais como: rebaixamento de lençol freático em áreas de lavra ou para alívio de fundações; dispersão de contaminantes na água subterrânea; e projetos de poços tubulares. Os modelos hidrogeológicos computacionais permitem simular uma série de cenários e testar diversas hipóteses acerca do arcabouço hidrogeológico do projeto em questão./p>


  • Projeto e acompanhamento de teste de rebaixamento em poços tubulares

Os testes de rebaixamento de nível d’água em poços tubulares têm por objetivo extrair informações quantitativas acerca dos parâmetros hidrodinâmicos de um determinado sistema hidrogeológico (condutividade hidráulica, armazenamento específico, rendimento específico, entre outros). Para que suas informações possam ser usadas com confiabilidade em estudos futuros, é essencial que o teste seja planejado especificamente para o caso em questão e executado de forma correta, com acompanhamento de um profissional qualificado.


  • Projetos de rebaixamento de nível freático em minas e desaguamento de cavas

Frequentemente na mineração, o rebaixamento do nível freático é uma necessidade ou uma consequência das operações de lavra. Nesses casos, um estudo hidrogeológico detalhado, geralmente apoiado por uma modelagem computacional, é fundamental para a elaboração do projeto de rebaixamento. Nesses projetos, são definidos os meios para drenagem dos aquíferos, os locais para instalação dos dispositivos de desaguamento e as taxas ótimas de explotação ao longo do tempo.


  • Elaboração de programas de monitoramento hídrico/hidrogeológico

O estabelecimento de um programa de monitoramento hídrico e/ou hidrogeológico é importante para a melhor compreensão da inter-relação entre as águas subterrâneas e as água superficiais num determinado contexto hidrogeológico. Para empreendimentos em fase de pré-operação, este programa é capaz de estabelecer as condições de “background”, passo importante para que a empresa possa planejar sua política de recursos hídricos e seu posicionamento perante os demais interessados. Em outros casos, a condução de um programa de monitoramento é parte de condicionantes de licenças ambientais ou de outorgas de uso de água.


  • Consistência de dados de monitoramento e interpretação de resultados

Os dados obtidos de um programa de monitoramento precisam ser processados para verificação de sua consistência e para eventual correção de erros. Uma vez consistidos, a interpretação dos dados objetiva o estabelecimento dos regimes de vazão e o entendimento de suas correlações com outras variáveis hidrogeológicas e hidrológicas, produzindo subsídios fundamentais para os modelos hidrogeológicos conceituais e computacionais.


  • Projeto e acompanhamento de instalação de dispositivos de monitoramento (piezômetros, vertedouros, poços de coleta de amostras)

Para que os programas de monitoramento alcancem seus objetivos com sucesso, é preciso que os dispositivos de monitoramento sejam projetados para se adequarem às especificidades de cada situação. Assim, o projeto criterioso de dispositivos de monitoramento visa não somente a qualidade do dado obtido, mas também, a facilidade de acesso e a longevidade do seu uso.


  • Caracterização e diagnósticos de ‘background’ (pré-operação) e de áreas contaminadas

Questões ambientais são extremamente sensíveis para os empreendimentos, pois afetam sua imagem perante os seus consumidores e o mercado. Assim, na fase de pré-operação, o diagnóstico de ‘background’ visa caracterizar a área do empreendimento, subsidiando o empreendedor no conhecimento de eventuais passivos ambientais pré-existentes e na sua política de Meio Ambiente.


  • Elaboração de balanço hídrico de barragens e de empreendimentos

Reservatórios de barragens (exclusivas para captação de água nova ou para disposição de rejeitos) são elementos fundamentais para o entendimento da disponibilidade hídrica de um empreendimento. Assim, a elaboração de um balanço hídrico desses reservatórios busca compreender, estatisticamente, a dinâmica de vazões afluentes e efluentes, para que o empreendedor possa tomar decisões relativas ao manejo de água e de seus efluentes industriais. O balanço hídrico também é importante ferramenta para que o empreendedor possa gerenciar os padrões de qualidade dos seus efluentes em corpos hídricos.


  • Estudos de drenagem ácida em pilhas e em barragens de rejeitos

A drenagem ácida é um fenômeno que ocorre, geralmente, quando materiais sulfetados são expostos ao intemperismo (em pilhas de materiais ou em barragens de rejeitos). Quando ocorre, a drenagem ácida pode trazer consequências muito sérias, como a contaminação de solos e de águas por metais pesados, entre eles o chumbo, o cromo e o mercúrio. Entender quais materiais apresentam este potencial e saber quais medidas tomar para prevenir ou controlar essa geração de drenagem ácida é fundamental para que empreendimentos minerários minimizem seus passivos ambientais e consigam maior agilidade na concessão de licenças ambientais.


  • Outorgas de águas superficiais e subterrâneas

O uso de águas superficiais e/ou subterrâneas só é concedido ao empreendedor após a obtenção de uma outorga, que é o instrumento legal que lhe assegura o direito de utilizar esses recursos hídricos. Para o requerimento de uma outorga, são necessários estudos hidrológicos e/ou hidrogeológicos para subsidiar o cálculo da vazão outorgável em determinado local, que, mais tarde, farão parte do Relatório Técnico do Pedido de Outorga.



RUA SERGIPE 1.333, 4° ANDAR / FUNCIONÁRIOS - BELO HORIZONTE/MG    CEP: 30.130-171
TEL 31 3048.2000 FAX 31 3048.2001